quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Aumentos de ordenado de 150% (mas só para alguns)


Parece que se pode dizer com toda a segurança que a crise em Portugal já passou, pelo menos para alguns administradores da Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC), que ajustou o salário dos gestores em mais cerca de 150%.

Entre vencimento o vencimento fixo e um abono mensal para "despesas de representação", estamos a falar de valores superior a 16 mil euros por mês, e que a ANAC justifica por ter usado como referência o valor de remuneração do governador do Banco de Portugal. Ora, se calhar o problema da maior parte do país é precisamente o de estar a usar referências erradas para os cálculos de tudo o que faz...

Solução: passar a usar a remuneração do governador do Banco de Portugal (13200 euros) como referência para o salário mínimo. E para não dizerem que é excessivo, acho que os portugueses nem se importarão que seja de apenas 25% desse valor. Pronto, assunto arrumado (e nem vamos entrar nas questões de querer saber se quem está à frente do Banco de Portugal está realmente a cumprir com as suas funções, considerando todo o descalabro que tem existido na Banca, repetidamente, e aparentemente sem que o Banco de Portugal se aperceba de nada, dizendo sempre e apenas que "está tudo bem.")

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts with Thumbnails