quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Governo quer criar uma entidade reguladora para o mercado dos combustíveis


Ora expliquem-me lá o que poderá estar mal. Tínhamos o mercado dos combustíveis regulado com preço máximos regulamentados pelo Governo. Estava mal, liberalizou-se, com a "cantiga" de que o mercado se encarregaria de ajustar os preços adequadamente (esquecendo-se de referir que os preços que o que estava fixado era o preço máximo, e que todos poderiam praticar preços concorrenciais mais baixos... se assim quisessem.)

O resultado não surpreendeu ninguém... disparando por aí acima (também por culpa dos fenómenos internacionais, é certo).

Mas o que também é certo é que por cá os preços se actualizam imediatamente em caso de subida da matéria prima, mas quando os preços descem há sempre uma qualquer justificação para que a descida só se possa reflectir passado N tempo. Perante todas as queixas, de cartelização dos preços (cujo expoente máximo se pode ver em qualquer painel indicativo dos preços dos combustíveis nas auto-estradas!), as entidades competentes dizem sempre que está tudo "conforme deve ser"!

Afinal... está tudo bem como deve ser, mas o Governo lembrou-se agora de que é melhor criar uma entidade reguladora adicional para regular o que deveria estar liberalizado e a funcionar pelas "leis de mercado". Afinal... em que ficamos?

Mais absurdo ainda... querem criar um "preço recomendado" para os combustíveis... Mas... será que estou a ler bem? É que para isso, então que criem igualmente uma tabela de preços recomendados para muitas outras coisas, como a água, pão, leite - ou já agora, que comecem também a fazer um cabaz de compras recomendadas para os Portugueses... mas um que exemplifique como é que se consegue chegar ao final do mês sem passar fome, ganhando um ordenado mínimo.


P.S. E já agora, que dêem também um preço recomendado aos que brincam com os preços dos combustíveis... numa outra escala.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts with Thumbnails