segunda-feira, 2 de abril de 2012

Corta-se nas Baixas Médicas


Parece que o Governo tem umas noções interessantes sobre como lidar com as baixas médicas fraudulentas. Como parece ser difícil apanhar os poucos (ou muitos, não se sabe) que usam e abusam destas baixas de forma indevida, a solução proposta consiste em baixar o valor que todas as pessoas nestas situações recebem.

A maioria das quais - espero eu - está de baixa, não por necessidade mas sim por obrigação, e que em muitos casos terá despesas acrescidas com medicamentos e restantes coisas associadas de quem muitas vezes tem que andar de táxi a correr para o médico ou hospital.

É um princípio algo curioso, porque para muitas coisas (veja-se as ex-SCUTs) chegaram à conclusão que o melhor seria o princípio do utilizador-pagador; pois não faria sentido alguém que nem tem automóvel, ou que nunca passa por essas estradas, estar a pagar por elas. No entanto, aqui, em vez de cairem em cima de quem realmente abusa do sistema, pseudo-doentes e médicos... não. Vão antes diluir a despesa por todos aqueles que cumprem e que gostariam de poder usufruir do sistema para o qual contribuem, nestas situações de necessidade.

Seria assim tão difícil chamar as coisas pelos nomes?

Era tão simples... Uma pessoa que fosse apanhada em baixa fraudulenta, pura e simplesmente ficava automaticamente de fora de todo e qualquer subsídio ou prestação paga pelo estado. Para um médico, medida semelhante: ser posto fora da ordem e proibido de exercer a sua actividade. Era remédio santo.
(Nem vou ao ponto de isto ser feito logo na primeira prevaricação... a primeira incidência poderia servir apenas de aviso, com uma duração de 1 ano, por exemplo...)

E melhor ainda... seria ver este tipo de coisa estendida a muitas mais áreas... tipo BPNs e afins... onde por causa de uns poucos "espertos" cai a conta agora a todos nós, e sempre sem haver responsáveis a quem se aponte os dedos...

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts with Thumbnails