sábado, 1 de dezembro de 2007

Netcabo: É virus... E é Estrangeiro

Há coisas fantásticas não há?

Há com certeza, mas a NETCABO não é uma delas!

Sou cliente Netcabo há vários anos, practicamente desde o aparecimento do serviço, e posso dizer que apesar das incompetências do serviço, os meus problemas sempre se resolveram. No entanto, desde que comecei a receber o mesmo serviço em Barcelos, começo sériamente a duvidar da capacidade da empresa.

Ando com um problema de tráfego! Mais concretamente, com problema nas velocidades! Mas especificando ainda mais, com problema nas velocidades internacionais.

O meu pacote é o MEGA PLUS, que actualmente, de acordo com a Netcabo conta com uma velocidade de 12 Mbits. Fazendo as simples contigas, um Megabit equivale a 10^6 bits, ou seja 12.000.000 bits.

Sendo que cada byte possui 8 bits, isto equivale-se a 1.500.000 bytes. Sabendo que cada Kbyte são 1024 bytes, então a velocidade de download correspondente a este serviço é de 1.464,84 Kbytes ou 1,43 Megabytes por segundo.

Como é sabido, a Netcabo alega que só se responsabiliza pelo tráfego dentro da sua rede. Aceita-se e compreende-se pois naturalmente eles não podem garantir o serviço dos outros, mas naturalmente que o cliente quer saber se efectivamente possui essa velocidade, uma vez que oferecer um mau serviço e deitar as culpas para os outros é muito fácil.

Por esse motivo, a Netcabo disponibiliza na sua página, em www.netcabo.pt\testevelocidade dois links contratados (e provavelmente cheios de caches que alteram a realidade das velocidades), onde poderemos verificar se efectivamente temos um serviço correspondente ao contratado.

Pois bem. Comecei à uns tempos atrás a constactar aqui em Barcelos que quando me dirigia ao computador a navegação era lenta, e a visualização de videos em streaming era quase impossivel engasgando constantemente.

Foi então que resolvi verificar se o problema seria da minha conecção ou dos sites visitados. Para isso, carreguei o internet explorer e limpei todos os caches existentes de modo a forçar o download limpo e sem aldrabices, dirigindo-me à página de testes da netcabo.

Fazendo o teste de velocidade nacional, constacto que consigo efectuar downloads a 1.31 Mbytes por segundo. É certo que não corresponde aos 1.43 contratados, mas essa é uma velocidade que dificilmente se atinge com um download normal, conseguindo-a com a ajuda de um download acelerator que não uso nestes casos de testes para não falsificar resultados.

Aparentemente tudo estava bem. Até que resolvi testar o download internacional. A velocidade obtida foi de uns maravilhosos 77 Kbytes por segundo (WOW!!!). Nada mais nada menos que uma velocidade do género da oferecida pelos pacotes iniciais de 1700 e carqueja, da Netcabo (640 Kbits).

Outros testes posteriores revelaram que o problema com as velocidades (e apenas as internacionais, uma vez que as nacionais se mantêm na velocidade máxima a tempo inteiro) era limitado no tempo. Ou seja, os testes realizados entre as 07:00 e as 19 horas revelaram downloads internacionais a 1.31 Megabytes/segundo, começando os valores a decrescer após as 19h, e atingindo os valores ridículos logo pelas 19:30 até às 00:00 da manhã.

Como nota, os valores do sinal estão excelentes e isso é confirmado pelos técnicos da TVCABO que se deslocaram à minha residência

O que se conclui desta observação?

Problema na máquina não é! Por muito entupida, cheia de vírus ou spywares que a máquina estivesse (e que por acaso não está pois corro regularmente software do mais variado para limpeza), dado não existirem ainda vírus ou spywares que falem apenas "binário estrangeiro", não havia qualquer motivo para que apenas o tráfego internacional fosse afectado. A máquina ao estar com algum problema seria afectada na sua ligação geral, e não apenas nas ligações para o estrangeiro.

Problema com a zona não é igualmente! Se fosse o caso e a zona estivesse sobrecarregada, não seria possível ao tráfego nacional obter os valores máximos. Afinal, tráfego é tráfego, e se há largura de banda, é irrelevante se é nacional ou internacional.

Onde está então o problema?

Naturalmente o problema está na Netcabo. Algures pelo caminho da informação terá de existir uma separação para as ligações nacionais e as ligações para o estrangeiro. E o problema só pode residir ai!

Das duas uma, ou se trata de um problema geral nas ligações para o estrangeiro (o que afectaria o país todo), ou um problema no servidor local que faz a separação do tráfego. E é aqui neste ultima que o problema tem de residir!

Ou o servidor que trata da parte internacional se encontra saturado e não aguenta com todas as solicitações, ou há um problema nas ligações deste com o outro servidor onde descarrega que impedem que se atinja a largura de banda total.

Este é um raciocínio lógico, coerente e que imediatamente mostra onde reside o problema!

Assim sendo, expus o mesmo à Netcabo, de forma a que estes pudessem verificar e solucionar o problema.

Recebo um e-mail algumas horas depois, a pedir-me que envie um capture de ecrã com o comando NETSTAT executado em uma janela de DOS.

POIS… quem está a acompanhar e sabe o que isto quer dizer, já deitou as mãos à cabeça, mas quem não sabe, fica a saber que a Netcabo quer verificar se não há nada na minha máquina a usar largura de banda. Ou seja, dos tais programas que falam "binário estrangeiro" (sim, porque os zeros (leia-se Zeros) e uns usados (0 e 1), se forem em inglês são zeros (leia-se Ziros) e ones... :) ).

Como é que é possível que com uma situação tão lógica, um serviço de apoio profissional e pago possa fazer uma solicitação destas?

Naturalmente que enviei o que foi pedido (e que naturalmente mostra ZERO ligações activas com o browser e outros programas de acesso à internet fechados), solicitando uma explicação técnica (e sem medo do jargão) sobre como é que eles acreditam que se fala "binário estrangeiro".

E fico-me por aqui! São coisas fantásticas!

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts with Thumbnails